segunda-feira, 15 de agosto de 2011

1 Tiny Heart - e o ambiente né ?

Amor, amor, ah, o que posso dizer sobre amor?

Lembro-me da minha não tão distante infância, na qual desperdicei horas e horas assistindo filmes de princesa. Esperava meu príncipe encantado arrombar a porta da sala e carregar-me em seu colo até seu cavalo branco, que nos levaria à felicidade eterna.

Certo, minha afirmativa acima não é 100% verídica. De fato, assisti demasiadamente os filminhos da Disney. Porém eu, o Senhor Pessimismo, desde pequenininho sempre via aquilo tudo como uma grande e fétida babozeira. Digam o que quiserem, mas infelizmente o senso de pessimismo (ou realismo) constantemente caminha junto à mim. Pois bem, sempre soube que meu príncipe ( ou princesa né g.g) não arrombaria a porta ou escalaria as paredes de minha casa até a janela só pra me salvar e me trazer uma tal felicidade, a qual, por muito tempo, considerei como uma vazia utopia hollywoodiana.
Sendo sincero, eu realmente me questionei repetidas vezes se tudo isso existia… Se todo esse amor 2D caberia no mundo real, ou pelo menos no mundinho desordenado aqui na minha cabeça. Amor, pffff, tudo jogada da mídia pra vender filminho americano!
É né, quando a vida quer, consegue foder estragar todos teus conceitos errôneos, que mesmo sendo errôneos, não deixam de ser seus conceitos, ora pois.
E é aqui que chega a hora difícil de redigir, a hora que eu enrolei e enrolei pra constatar… Meus dedos mudam de página, leem, relêem e chegam na conclusão que tem que ser dito: Eu amo.
Amo, amo mesmo, eu confesso. Confesso que meu pessimismo errou. Confesso que a minha teoria, por mais que faça um maldito sentido, estava errada. Confesso que estou aqui, me envolvendo num paradoxo perfeito. E por último, confesso que não me arrependo, de forma alguma, de sentir e confessar, muito pelo contrário, sinto-me especial dentro das malditas molduras construídas pela sociedade, até porque, estou rumando ao encontro daquele final feliz que tanto aquelas utopias hollywoodianas abordavam.
Claro que para a Juuh não me matar demitir eu vou falar um pouco sobre o ambiente.
Primeiramente quero dizer que infelizmente ele está morrendo, e não há nada que possamos fazer hoje. Não. Nem consiencia existe hoje em dia, não importa o quanto as pessoas peçam, não importa o quanto implorem, na cabeça do ser humano, é muito mais fácil cagar ignorar para isso, do que simplesmente fazaer alguma coisa, pense bem, se o ser humano babaca e sensacionalista tivesse a triste realização de que o mundo realmente está acabando (apesar de eu ser ateu, acredito q o mundo vai acabar.) seria tarde de mais, fato. Agora pense, e se você for a diferença, hein ? Bem, eu vou mandar uma liçãozinha de casa para vocês deliciosos adoráveis leitores, é, não joguem lixo fora da lixeira, reciclem , falem com as pessoas, mas por favor , não plantem uma arvore, sério, minha mãe trabalha com isso, e tipo , tem muito babaca plantando arvore em lugar que não pode, arvores que ficam com quase 5 metros e depois fode com a fiação elétrica e as vezes sofre muito, é , arvores sentem, sério, bom pra encerrar o post queria dizer para o professor Tuti deixar de ser homofóbico implicante e me deixe em paz. Eu sou flexivel tá ? Problem? Espero que não, sério.


Beijos meus leitores sexy, hj eu não escrevi em negrito por que era um assunto sério, negrito deixa as coisas mais descontraídas então, não foi dessa vez. Bom para descontrair um pouco esse post tem um coraçãozinho alí ó. Beijoooooo do gordo-nn
Photobucket


Um comentário:

  1. homofóbico? tenho varios amigos homossexuais e vc diz que eu sou homofobico?
    diga qualquer coisa de mim, menos que eu sou homofobico, racista ou socialista

    ResponderExcluir